Tag Archives: Cinema

Antes tarde do que nunca!

6 mar

Com alguns dias de atraso, darei a minha opinião sobre a cerimônia do Oscar.

Após ler diversas matérias referentes à premiação, percebi que todos possuem, pelo menos, uma ideia em comum: Não foi uma noite de surpresas. Os filmes, como muitos disseram, fazem parte de melhor safra em muitos meses. Com relação a isso, eu concordo totalmente. Durante uns 6 meses, era impossível achar um filme REALMENTE bom, daquele tipo que te surpreende…

Pois bem. Vamos parar de enrolar e ir para o que interessa. Eis a lista de destaques do Oscar 2014:

1) O tombo de Jennifer Lawrence:

A nova queridinha de Hollywood possui uma séria dificuldade em se manter em pé. Ano passado, para quem não se lembra, ao conquistar o Oscar de melhor atriz, Lawrence tropeçou na barra do seu lindo vestido Dior e foi para o chão. No último domingo, ao chegar no Dolby Theater, a atriz escorregou e foi de peixinho, em câmera lenta, levando a colega que estava a sua frente, para o maravilhoso tapete vermelho.

Eu ri TODAS as vezes que assisti à cena. E,não, não foi olho gordo da minha parte. O tombo e o fato de ter perdido o prêmio para a lindíssima Lupita, não foi por olho gordo.

Image

Já ouvi dizer que o tombo foi encenado e, pelo jeito, uma outra cena também já era proposital…

2) O famoso Selfie

Image

A foto foi uma propaganda da Samsung (reparem no aparelho que está na mão do gatíssimo Bradley Cooper).

Image

Independente disso, a foto foi retuítada mais de 3 milhões de vezes, batendo o recorde que pertencia ao Obama, com a foto da sua noite de sua posse como presidente.

Já foram feitas diversas montagens ÓTIMAS com o selfie:

Image

Image

Image

3) John Travolta e Adele Dazeem (?)

O ator anda sumido e quando ressurge, vem com tudo. John Travolta, ao apresentar a próxima atração, errou o nome da cantora Idina Menzel. Ele já pediu desculpa pelo ocorrido, mas a piada já estava pronta…

Image

Image

Image

4) Woody Allen

Durante a entrega do Globo de Ouro, em janeiro,o filho do cineasta Woody Allen trouxe à tona uma história já “esquecida” pela mídia, o famoso “possível” abuso sexual envolvendo Allen e a sua filha com Mia Farrow.

Todo esse bafafá causou um reboliço, de forma que Allen deu uma sumida durante estes primeiros meses do ano. Por tudo isso, o discurso da premiada atriz Cate Blanchett era super aguardado, afinal, ela venceu pelo filme Blue Jasmine, de Woddy Allen. A atriz agradeceu ao diretor, logo, o citou. Este pequeno detalhe foi bem comentado.

5) Ellen Degeneres

Para fechar, não podia deixar de comentar sobre a excelente apresentação de Ellen Degeneres. Tudo bem, eu sei que sou um pouco duvidosa, porque ADORO essa apresentadora. Mas, vocês hão de convir comigo, há tempos a apresentação do Oscar não era tão animada.

Amei a pizza, o selfie, as piadas, like Björk…tudo!

Image

Agora, é sério, para encerrar de vez este post, preciso comentar sobre a categoria Melhor canção. Juro, todos deveriam ser premiados. O meu prefiro é o do filme Ela, que ganhou o Oscar de melhor roteiro original (PIREI!!!).

Sugestão de amiga, baixem todas as canções. São ótimas.

Mariana Miranda

Her

23 fev

Muitas pessoas já devem ter vivido uma situação semelhante como a que eu irei descrever. Você está na fila do banco ou no ponto do ônibus e, de repente, ouve uma voz ao seu lado, que diz sobre o tempo, o transporte ou outro assunto que envolva o cotidiano de qualquer cidadão. Ao virar, para saber a origem da voz, você descobre que é o receptor de tal mensagem. Em questão de minutos, diversos assuntos são tratados, entre eles, a vida pessoal da dona da voz. Por que alguém falaria sobre a família, ou qualquer outro assunto pessoal, para um desconhecido? Simples, vivemos em uma sociedade onde há carência de ouvidos. Não de forma literal, é claro. As pessoas não ouvem, não compreendem e não se importam com os outros. Os motivos podem ser diversos: impaciência, falta de tempo ou, até mesmo, por puro egoísmo.
Dentre tantas críticas da sociedade atual, o filme Ela aborda esta escassez de ouvintes.
A obra apresenta um rapaz recém separado (Joaquin Phoenix) que se apaixona por um sistema operacional, Samantha (Scarlett Johansson). O tal sistema, uma versão do SIRI super desenvolvida, com o passar do tempo, ganha sua própria personalidade e, artificialmente, ou não, sentimentos.
Neste instante você pensa: “Que história besta. Jamais alguém se apaixonaria por um OS.” Será?
Quantas vezes você pediu para alguém prestar atenção no que dizia? Quantas vezes você quis desabafar com alguém? Quantas vezes você conversou com você mesma? Sim, carência de ouvidos.
Ao se deparar com alguém, seja pessoa ou um sistema, que te ouve, te entende, te ajuda e aconselha; que percebe pelo seu tom de voz que está preocupada, triste ou estressada; que se interessa pela sua vida; a atração, para não dizer paixão, é inevitável.
O medo da solidão, o isolamento social, como consequência do desenvolvimento tecnológico, e a carência estão presentes em nossa vida. O filme apresenta uma realidade não muito difícil, infelizmente, de acontecer.
O maior desafio que temos pela frente é voltar a termos relações físicas e reaprendermos, se é que alguma vez soubemos, a viver em grupo. A geração WhatsApp/Redes Sociais vive a dependência de estar sempre atualizado do que acontece, ao mesmo tempo que esquece de viver.
A visão trágica da sociedade que Ela proporciona é uma bela pauta para debate e, espero eu, uma situação que não iremos vivenciar.

Mariana Miranda

Europa, baby!

17 fev

Sim, minhas queridas e amadas leitoras, os europeus são gatos demais, sem querer desvalorizar o nosso produto nacional.

Vamos fazer um Top 5 de atores europeus charmosos e belos!

A lista:

1) Michael Fassbender:

Este alemão conquistou Hollywood e as mulheres do mundo inteiro. Alto, forte e sedutor, deixou a mulherada descabelada no filme Shame!

2) Daniel Day-Lewis:

O inglês não é apenas talentoso, é um charme só. O papel de Guido Contini, no filme Nine, caiu como uma luva para este deus!

3) James McAvoy:

A cena da biblioteca, no filme Desejo e Reparação, já diz tudo. Este escocês é lindo, gato e um fofo! Além de super talentoso!

4) Javier Bardem:

Ahhhhhhhh! Os traços bem masculinos deste espanhol, conquistou o coração da conterrânea, e linda, Penélope Cruz.

5) Jean Dujardin:

Oui, Oui! O ator francês é tão maravilhoso que não conseguimos ter raiva dele no filme Os Infiéis.

 

Aproveitem!

Millenium – Os homens que não amavam as mulheres

14 jul

Os remakes hollywoodianos de filmes estrangeiros que fizeram sucesso muitas vezes não caem no gosto do público e da crítica, mas duas obras são exceções: Deixe ela entrar e Os homens que não amavam as mulheres.
Ambos são suecos e tiveram sua versão estadunidense produzidas rapidamente.
O Deixe ela entrar foi lançado em 2008 e teve sua versão norte-americana produzida em 2010, com o nome Deixe-me entrar. Ambos ficaram muito tempo em cartaz nos cinemas brasileiros, mas o sucesso, pelo menos no Brasil, não foi tão grande quanto Millenium – Os homens que não amavam as mulheres, versão de Hollywood do The girl with the dragon tattoo (filme feito na Suécia em 2009 e nos Estados Unidos em 2011).

O filme com Daniel Craig e Rooney Mara agradou à todos e chegou a ganhar um Oscar (em uma categoria técnica, mas e daí?)!
O enredo é fantástico (roteiro adaptado da série literária Millenium, também seuca) e o ótimo elenco colaborou para torná-lo ainda melhor (participação de Christopher Plummer, ganhador do Oscar de melhor ator coadjuvante deste ano, mas por outro filme).
A história aborda o caso de um serial killer suspeito pela morte de diversas mulheres. Um jornalista é chamado por um senhor que perdeu a sobrinha e pede ajuda para descobrir quem a matou. Uma detetive com sérios problemas psicológicos é indicada para colaborar nas pesquisas e na busca por pistas.
A atriz Rooney Mara, com todo seu jeito estranho de ser, está incrível! Já Daniel Craig não conseguiu se livrar do estilo James Bond, mas isto não tanto prejudica seu personagem, até dá um ar mais sedutor a ele.
A trilogia Millenium teve todos os livros passados para o cinema, mas na versão sueca (ou seja, na original), em apenas 1 ano!!!!
Esperamos ansiosas para que Hollywood siga os mesmos passos!

… azar no amor

8 jul

Gritou para o mundo todo que estava apaixonado, adotou duas crianças, salvou diversas vidas, nunca bateu nos Paparazzis e nem apareceu bêbado em público.
Um doce para quem acertar de qual celebridade estou me referindo.

Estou falando de ninguém mais, ninguém menos que Tom Cruise.
Vamos esquecer todo este bafafá que ronda a separação dele com a atriz sem sal Katie Holmes e relembrar os momentos felizes do ator no cinema, até porque no amor está difícil…

Vamos ao que interessa,há diversos filmes que Tom mostrou seu talento e mereceu ganhar o Oscar, maaas a cientologia esta entre Cruise e a Academia.São eles:

Magnólia
Quem conseguiria imaginá-lo interpretando um guru do sexo super respeitado dizendo seriamente: “Respect the cock!” ? Além disso, a cena em que ele é entrevistado pela jornalista, podemos observar que Cruise nasceu para ser ator, pois poucos são os atores que conseguem se expressar pelo olhar.

De olhos bem fechados
Neste filme de Stanley Kubrick, Tom Cruise contracena com a sua então esposa, Nicole Kidman, o que ajudou muito a tornar todo o enredo real e as interpretações naturais (não estou querendo por lenha na fogueira e falando que a Nicole chifrou o marido na vida real).

Nascido em 4 de julho
Tom Cruise + Oliver Stone

Jerry Maguire
Apenas uma frase: Show me the money!!!!!

Ah, não vamos esquecer da cena icônica de Tom Cruise dançando de cueca em Negócio arriscado.

O rapaz tem talento de sobra, mas falta-lhe sorte nos relacionamentos. Quem não está na mesma situação que ele, não é mesmo?

Alô, planeta terra chamando!

17 jun

O genial cineasta Woody Allen, há 27 anos, lançou o filme “A rosa púrpura do Cairo”. Uma crítica aos meios de comunicação em massa, conhecidos por certas pessoas como os causadores da alienação da população. O filme é de uma sutileza que a crítica presente nele só estará na mente de quem pensar mais profundamente no enredo e no tema abordado na obra.

Mas, esquecendo esta análise mais política, pensemos no enredo conectado ao mundo feminino. Nós, mulheres, amamos comédia romântica, isto porque nos colocamos no lugar da protagonista e vivemos o caso de amor dos sonhos de toda mulher e, ainda por cima, com um final feliz.

No caso do filme, a jovem Cecilia possui um marido bruto e vive infeliz. Há apenas um momento em que encontra a felicidade, quando vai ao cinema. Toda a vida que deseja está na tela. Até que um dia o personagem principal do filme que está em cartaz no cinema da cidade foge da tela e torna-se real. Ao se deparar com o homem dos seus sonhos, Cecilia vive uma história de amor igual ao dos filmes. Mas o show precisa continuar e sem ator não há filme. 

A culpa de não vivermos aquilo que desejamos não é nossa. O cinema tem esta magia de nos providênciar momentos de realizações dos sonhos, estes que muitas vezes existem apenas no mundo da imaginação (o homem perfeito, a vida sem problemas…).

As comédias românticas cumprem muito bem este dever de entreter. Afinal, quem nunca desejou estar no lugar de Kate Hudson em “Como perder um homem em 10 dias” ou encontrar o homem dos sonhos sem sair do lugar, como a Cameron Diaz em “O amor não tira férias”.

Isto não é um problema, mas, sim, a solução! Saímos do cinema em êxtase e podemos voltar a ter esta sensação todo o momento em que assistirmos ao mesmo filme. Não corte os pulsos ou arranque os cabelos porque você não possui um homem perfeito como Gerard Butler em “P.S. Eu te amo”, apenas curta quem você ama e faça tudo o que gosta, afinal, fora das telas a vida não é fácil nem para as musas da comédia romântica (olá, Jennifer Aniston, Sandra Bullock e Kate Hudson).

 

Jack e Rose

30 mar

Meninas, preparem-se para o dia 13 de  abril!

O que terá neste dia? Nada mais, nada menos que a reestreia do filme mais rentável da história do cinema: Titanic.

O romance será lançado em versão 3D para relembrar os 100 anos do naufrágio!

Conheço pessoas que nunca assistiram a este filme e para elas tenho algo a dizer sobre isto: Shame on you!

A tragédia mais romântica e triste (você assiste 5 min e já está com os olhos inchados de tanto chorar) conta a história de amor entre Jack (Leonardo DiCaprio) e Rose (Kate Wislent). Ele pobre e feliz e ela, para variar, podre de rica e infeliz, se conhecem no maior e inafundável (aham!) navio daquela época. Os dois se envolvem em um tórrido caso de amor (a inesquecível cena do carro), porém devem esconder este relacionamento, já que Rose está comprometida para um milionário chatíssmo! Porém, os amantes são descobertos e o navio bate em um iceberg!

Eu sei que é dramalhão do começo até o fim, mas vale muuuito a pena! O enredo, a fotografia, os atores, os diálogos memoráveis (Eu sou o rei do mundo!).

O filme foi lançado em3D por um dia no mês de fevereiro e os ingressos acabaram em horas. Então guardem dinheiro para o ingresso e para os lencinhos!

Imperdível!

Só para dar aquela relembrada: