Autoajuda musical

7 mar

Se hoje você está “my loneliness is killing me”:

No final deste post estará “my loneliness ain’t killing me no more”

Selecionamos músicas que elevam a autoestima e dão aquela força amiga nos momentos de crise…

1) Stronger

Kelly Clarkson andou sumida,pelo menos nas rádios brasileiras. Porém, voltou com tudo e trouxe a música chiclete, que tocou exageradamente. De qualquer forma, a letra e o ritmo combinam perfeitamente para ajudar quem está passando por alguma fase ruim e precisa superar…

2) Born this way

Nós, mulheres, possuímos uma leve dificuldade em nos aceitarmos por inteira. Sempre há algum defeito. Mas a Lady Gaga lançou o hit, que não fez TAAAANTO sucesso quanto Poker Face, contudo, a letra é bem-vinda para quem precisa sentir-se bem consigo mesma.

3) Stupid Girl

Esta música é voltada para um público mais jovem. Mas o que me impressiona, digamos assim, é a história que motivou a Pink a escrever tal canção: sua afilhada, na época com 8 anos (!), queria ser como a Barbie (ter o corpo dela). WTF? Era uma criança já preocupada com a estética. Isso é insano!

Bem, a Pink, achando um absurdo toda essa história, criou uma música criticando esta obssessão que adquirimos em alguma fase da vida, mais comum na adolescência, pelo corpo de modelo e por ser conhecida de qualquer forma… Sinto em informá-las, mas esta história de filme teen estadunidense já está encorporado na cultura dos jovens brasileiros, infelizmente.

Vamos dar um up na autoestima, meninas!

Mariana Miranda

Anúncios

Antes tarde do que nunca!

6 mar

Com alguns dias de atraso, darei a minha opinião sobre a cerimônia do Oscar.

Após ler diversas matérias referentes à premiação, percebi que todos possuem, pelo menos, uma ideia em comum: Não foi uma noite de surpresas. Os filmes, como muitos disseram, fazem parte de melhor safra em muitos meses. Com relação a isso, eu concordo totalmente. Durante uns 6 meses, era impossível achar um filme REALMENTE bom, daquele tipo que te surpreende…

Pois bem. Vamos parar de enrolar e ir para o que interessa. Eis a lista de destaques do Oscar 2014:

1) O tombo de Jennifer Lawrence:

A nova queridinha de Hollywood possui uma séria dificuldade em se manter em pé. Ano passado, para quem não se lembra, ao conquistar o Oscar de melhor atriz, Lawrence tropeçou na barra do seu lindo vestido Dior e foi para o chão. No último domingo, ao chegar no Dolby Theater, a atriz escorregou e foi de peixinho, em câmera lenta, levando a colega que estava a sua frente, para o maravilhoso tapete vermelho.

Eu ri TODAS as vezes que assisti à cena. E,não, não foi olho gordo da minha parte. O tombo e o fato de ter perdido o prêmio para a lindíssima Lupita, não foi por olho gordo.

Image

Já ouvi dizer que o tombo foi encenado e, pelo jeito, uma outra cena também já era proposital…

2) O famoso Selfie

Image

A foto foi uma propaganda da Samsung (reparem no aparelho que está na mão do gatíssimo Bradley Cooper).

Image

Independente disso, a foto foi retuítada mais de 3 milhões de vezes, batendo o recorde que pertencia ao Obama, com a foto da sua noite de sua posse como presidente.

Já foram feitas diversas montagens ÓTIMAS com o selfie:

Image

Image

Image

3) John Travolta e Adele Dazeem (?)

O ator anda sumido e quando ressurge, vem com tudo. John Travolta, ao apresentar a próxima atração, errou o nome da cantora Idina Menzel. Ele já pediu desculpa pelo ocorrido, mas a piada já estava pronta…

Image

Image

Image

4) Woody Allen

Durante a entrega do Globo de Ouro, em janeiro,o filho do cineasta Woody Allen trouxe à tona uma história já “esquecida” pela mídia, o famoso “possível” abuso sexual envolvendo Allen e a sua filha com Mia Farrow.

Todo esse bafafá causou um reboliço, de forma que Allen deu uma sumida durante estes primeiros meses do ano. Por tudo isso, o discurso da premiada atriz Cate Blanchett era super aguardado, afinal, ela venceu pelo filme Blue Jasmine, de Woddy Allen. A atriz agradeceu ao diretor, logo, o citou. Este pequeno detalhe foi bem comentado.

5) Ellen Degeneres

Para fechar, não podia deixar de comentar sobre a excelente apresentação de Ellen Degeneres. Tudo bem, eu sei que sou um pouco duvidosa, porque ADORO essa apresentadora. Mas, vocês hão de convir comigo, há tempos a apresentação do Oscar não era tão animada.

Amei a pizza, o selfie, as piadas, like Björk…tudo!

Image

Agora, é sério, para encerrar de vez este post, preciso comentar sobre a categoria Melhor canção. Juro, todos deveriam ser premiados. O meu prefiro é o do filme Ela, que ganhou o Oscar de melhor roteiro original (PIREI!!!).

Sugestão de amiga, baixem todas as canções. São ótimas.

Mariana Miranda

Her

23 fev

Muitas pessoas já devem ter vivido uma situação semelhante como a que eu irei descrever. Você está na fila do banco ou no ponto do ônibus e, de repente, ouve uma voz ao seu lado, que diz sobre o tempo, o transporte ou outro assunto que envolva o cotidiano de qualquer cidadão. Ao virar, para saber a origem da voz, você descobre que é o receptor de tal mensagem. Em questão de minutos, diversos assuntos são tratados, entre eles, a vida pessoal da dona da voz. Por que alguém falaria sobre a família, ou qualquer outro assunto pessoal, para um desconhecido? Simples, vivemos em uma sociedade onde há carência de ouvidos. Não de forma literal, é claro. As pessoas não ouvem, não compreendem e não se importam com os outros. Os motivos podem ser diversos: impaciência, falta de tempo ou, até mesmo, por puro egoísmo.
Dentre tantas críticas da sociedade atual, o filme Ela aborda esta escassez de ouvintes.
A obra apresenta um rapaz recém separado (Joaquin Phoenix) que se apaixona por um sistema operacional, Samantha (Scarlett Johansson). O tal sistema, uma versão do SIRI super desenvolvida, com o passar do tempo, ganha sua própria personalidade e, artificialmente, ou não, sentimentos.
Neste instante você pensa: “Que história besta. Jamais alguém se apaixonaria por um OS.” Será?
Quantas vezes você pediu para alguém prestar atenção no que dizia? Quantas vezes você quis desabafar com alguém? Quantas vezes você conversou com você mesma? Sim, carência de ouvidos.
Ao se deparar com alguém, seja pessoa ou um sistema, que te ouve, te entende, te ajuda e aconselha; que percebe pelo seu tom de voz que está preocupada, triste ou estressada; que se interessa pela sua vida; a atração, para não dizer paixão, é inevitável.
O medo da solidão, o isolamento social, como consequência do desenvolvimento tecnológico, e a carência estão presentes em nossa vida. O filme apresenta uma realidade não muito difícil, infelizmente, de acontecer.
O maior desafio que temos pela frente é voltar a termos relações físicas e reaprendermos, se é que alguma vez soubemos, a viver em grupo. A geração WhatsApp/Redes Sociais vive a dependência de estar sempre atualizado do que acontece, ao mesmo tempo que esquece de viver.
A visão trágica da sociedade que Ela proporciona é uma bela pauta para debate e, espero eu, uma situação que não iremos vivenciar.

Mariana Miranda

Paris, Je t’aime

1 maio

Somos brasileiras, mas amamos o estilo das parisienses. Elas vivem na capital da moda e respiram bom gosto 24h/dia. Mas, como todas as mulheres do mundo, elas tem seus segredinhos e todos stão reunidos no best-seller A Parisiense, de Ines de La Fressange.

O livro traz dicas de moda para o cotidiano e todas as ocasiões (festas, viagem para o campo…). O melhor de tudo, há várias fotos, da modelo Sophie Gachet (filha da autora), dos estilos, para que a leitora compreenda melhor. Os textos são divertidos e sem jargões.

A Parisiense é uma mulher como todas as outras, ela trabalha, estuda, cuida da casa, mas está sempre impecável. Quando estamos bem arrumadas, a auto estima fica lá em cima e passamos esta sensação de bem estar para as pessoas à nossa volta. A obra nos ensina a nos sentirmos melhor e usarmos aquilo que fica bem em nós. Este é o grande ensinamento do livro, “o segredo de um bom estilo é sentir-se bem dentro de uma roupa”.

Além de estilo, há ainda roteiro de passeios, restaurantes e lojas que são imperdíveis de se conhecer na capital francesa.

Vale muito a pena ter este manuel de estilo e mantê-lo sempre por perto, para estarmos prontas, e lindas, em qualquer evento.

Europa, baby!

17 fev

Sim, minhas queridas e amadas leitoras, os europeus são gatos demais, sem querer desvalorizar o nosso produto nacional.

Vamos fazer um Top 5 de atores europeus charmosos e belos!

A lista:

1) Michael Fassbender:

Este alemão conquistou Hollywood e as mulheres do mundo inteiro. Alto, forte e sedutor, deixou a mulherada descabelada no filme Shame!

2) Daniel Day-Lewis:

O inglês não é apenas talentoso, é um charme só. O papel de Guido Contini, no filme Nine, caiu como uma luva para este deus!

3) James McAvoy:

A cena da biblioteca, no filme Desejo e Reparação, já diz tudo. Este escocês é lindo, gato e um fofo! Além de super talentoso!

4) Javier Bardem:

Ahhhhhhhh! Os traços bem masculinos deste espanhol, conquistou o coração da conterrânea, e linda, Penélope Cruz.

5) Jean Dujardin:

Oui, Oui! O ator francês é tão maravilhoso que não conseguimos ter raiva dele no filme Os Infiéis.

 

Aproveitem!

Nota

Longe de casa, perto da diversão

17 fev

Ao colocar o pé para fora de casa, você deixa para trás o conforto, o ambiente agradável, acolhedor e familiar. Onde você mora é o único espaço onde você pode fazer o que desejar e ser quem você realmente é, sem qualquer tipo de julgamento. 

Mas a liberdade de conhecer novos lugares, pessoas, viver e colecionar histórias, só começa quando estamos fora da nossa humilde residência.

Agora, una todas essas qualidades e você formará um hostel. Sim, minhas queridas. Este é o local de viver, conhecer, se aventurar, descobrir, sem perder o conforto e o aconchego. 

O hostel é uma casa simples, que recebe pessoas (hóspedes) que podem, ou não, dividir quarto e banheiro, se reunirem na sala de estar para conversarem. Os hóspedes acabam se conhecendo e fazem companhia uns aos outros, saindo juntos, curtindo a noite, se aventurando e divertindo, além de compartilharem suas histórias de viagens e dividirem o conhecimento da cultura do local de origem. 

Em diversos países e cidades há, pelo menos, um hostel. A vantagem não para por aí, o preço é o mais camarada possível (35, 40, 50 reais…).

Para quem não curte viajar, pode ir à festas em hostels. Na cidade de São Paulo, o Hostel Uvaia oferece festas abertas ao público. Você conhece o espaço e os hóspedes. Lá, também, há exposições de jovens artistas. O ambiente é bem gostoso, alegre, colorido, organizado e os donos e funcionários são beeeeem gentis.

Ficar em um hostel por uma noite é uma ótima opção, para quem vai para uma balada e mora longe.

Para quem deseja fazer um mochilão, o hostel é a melhor opção. 

Hostel Uvaia:http://www.uvaiahostel.com/

Hostels pelo mundo:http://www.hostelbookers.com/

“Vamos viver tudo o que há para viver.” (SANTOS, Lulu. Tempos Modernos)

Cadê o príncipe?

8 out

Há duas frases marcantes na vida das meninas: “Era uma vez” e “Viveram felizes para sempre“. Quando crescem, estas jovens sonhadoras, vivem o conto de fadas moderno. Buscam sempre a felicidade eterna, afinal, todas as histórias começam com o “Era uma vez”.
No mundo atual encontrar um príncipe é uma tarefa difícil ou impossível. Por isso, as princesas contemporâneas buscam a felicidade em outras áreas da vida, como a profissional.
Contudo, aquela menininha que acredita na fada madrinha, nunca sumiu e nem sumirá de dentro das mulheres independentes e cheias de si.
Não acredita? Eis a prova:

Os contos são os mesmos só que maquiados.

1) Espelho, Espelho meu
I believe, i believe, i believe, i believe in love…love…love!

2) A garota da capa vermelha

3) Branca de neve e o caçador

Como você deve ter percebido, as princesas tornaram-se heroínas fortes, independentes e corajosas (NÓS!!!). Mas todas encontraram um príncipe para chamar de seu! O amor romântico continua vivo dentro dos corações das guerreiras.

E a maior prova de que continuamos “princesas lindas de vestido rosa” (certo, Julie?):

4) Once Upon a Time

Somos eternas Cinderelas, Bellas, Auroras, Brancas de neve…